O encerramento das Conferências Regionais do Millénium BCP sobre agricultura teve lugar no Hotel Sheraton, em Lisboa, com honras de Ministra da Agricultura e de presenças mediáticas de ordem diversa. Quem acabou por ter um protagonismo relevante foi o ex- Ministro da Agricultura Sevinate Pinto que na fase de Mesa Redonda produziu várias afirmações, umas polémicas, outras controversas, sobre a actual situação da agricultura portuguesa e ainda sobre o seu futuro.

 

 

No entendimento do ex-governante não pode ser afirmado que os terrenos agrícolas, com níveis de qualidade mínima, estejam abandonados. Nesta situação poderão estar cerca de 3% das terras e pouco mais. Estas abordagens tiveram eco noutros palestrantes que afirmaram que os problemas da agricultura portuguesa são de outra natureza, já que a batalha da recuperação da imagem da agricultura aos olhos dos portugueses foi ganha nos últimos anos. Importa continuar a renovar (apoio aos jovens agricultores), a apoiar os pequenos produtores por razões económicas e sociais e incentivar a internacionalização das empresas agrícolas portuguesas.

Referências ao demasiado elevado custo dos factores de produção como a energia e a água foram claras na condenação dos preços actuais que os agricultores suportam cada vez com maior dificuldade.

A Ministra da Agricultura, Assunção Cristas, apresentou um balanço positivo da actividade do sector e adiantou que o Ministério está a fazer tudo para que as próximas candidaturas aos fundos comunitários sejam viabilizadas até final do ano. Destacou na sua intervenção as vantagens que a produção agrícola primária tem em se associar à indústria para promover um cluster coerente de oferta nos mercados agroalimentares. Salientou ainda que será nos Centros de Competências especializados, como o que já existe no sector do tomate, que muito do impulso inovador poderá ocorrer no futuro.

A CNJ marcou presença na Conferência através do Vice-Presidente da Direcção Carlos Franco e do Coordenador Editorial da Revista AGRI, Carlos Ribeiro.