A participação da CNJ no júri do Concurso realizado no ãmbito do Festival do Melão e Melancia de Alpiarça no passado dia 26 de Julho serviu para aprofundar alguns cohecimentos sobre o estado actual do melão na região e teve por resultado um estreitar de relacionamento com os diversos actores institucionais que se preocupam com a evolução do melão em Portugal.

 

A questão mais premente prende-se com o actual preço do melão, pago ao produtor, que sendo extremamente baixo, obriga os produtores a pensar em rentabilidades elevadas sobretudo em termos de quantidade. Esta opção empurra os produtores para a utilização de sementes de elevada produtividade ao ha e desmotiva os mais atentos com as questões da qualidade e do valor acrescentado.  Desta forma receiam investir na qualidade e em variedades mais interessantes no plano da diversidade da oferta.

O debate sobre o estado actual do melão tem que ser feito. O pior é assobiar para o lado e não atacar as dificuldades de frente e com coragem.